Blog do José Ribeiro Júnior

14 agosto 2009

Judaísmo Messiânico é Oficialmente Reconhecido por Israel

por Hugo
Saiu na Charisma Magazine:

Duas propostas de lei tramitavam no Knesset para tornar a prática do Judaísmo Messiânico ilegal em Israel. Ambas não passaram e os responsáveis por isso, em grande parte, foram os membros de uma coalizão chamada Comitê de Ação Messiânica (Messianic Action Committee – MAC), que liderou a luta contra estes dois projetos de lei. Agora, o Judaísmo Messiânico é considerado tão legítimo pelo governo de Israel quanto qualquer outra forma de Judaísmo: ortodoxo, conservador, reformista ou reconstrucionista. Qual o significado disso na dispensação profética atual?

“Como as sinagogas messiânicas respeitam nossas raízes judaicas e honram nossa pátria, Israel, estamos desfrutando do favor da comunidade.”– explica o rabino messiânico Baruque Rubin. “Estes são tempos maravilhosos! Israel está se abrindo ao Judaísmo Messiânico e alguns estão até se juntando a nós. Livros estão sendo escritos, descrevendo o Judaísmo Messiânico como ele realmente é. Cada vez menos somos vistos como ‘missionários enganadores’ enviados para destruir Israel, como éramos vistos no passado.”

Finalmente boas notícias vindas de Israel. Ao mesmo tempo em que o cenário geopolítico se forma para o fim dos tempos, também o clima espiritual se forma no Estado Judeu. O Judaísmo Messiânico foi a primeira expressão da fé cristã em Israel antes que o Reino fosse aberto aos gentios. Com mais liberdade e com o crescente reconhecimento da população, o Judaísmo Messiânico pode pregar o Messias crucificado aos judeus de forma mais abrangente. É uma pequena nuvem, do tamanho da mão de um homem ainda, mas que com intercessão profética e o testemunho dos santos, levará Israel a conhecer seu Senhor novamente.

A relação entre a Igreja gentílica e os judeus é marcada pela hostilidade e perseguições de ambas as partes. Somente o sangue de Cristo pode curar estas feridas milenares. O avivamento em Israel descrito nas Escrituras, no final dos tempos, será fruto de uma ação soberana de Deus na Terra Santa. A Igreja gentílica que perseguiu e matou os judeus – com seus missionários estrangeiros, “incircuncisos” e “comedores de bacon” – não terá qualquer participação neste processo. Os judeus serão atraídos a Yeshua da mesma forma que foram no princípio: pelo testemunho e o poder de outros judeus que abraçaram o Messias. E à medida que Israel perde seu apadrinhamento político e a pressão aumenta na nação, menos os judeus poderão depender de seus recursos naturais, e cada vez mais terão que se voltar novamente ao Senhor para sua salvação. E assim se cumprirão as palavras do profeta Zacarias:

Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o espírito de graça e de súplicas; e olharão para aquele a quem traspassaram, e o prantearão como quem pranteia por seu filho único; e chorarão amargamente por ele, como se chora pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém, como o pranto de Hadade-Rimom no vale de Megidom. E a terra pranteará, cada família à parte: a família da casa de Davi à parte, e suas mulheres à parte; e a família da casa de Natã à parte, e suas mulheres à parte; a família da casa de Levi à parte, e suas mulheres à parte; a família de Simei à parte, e suas mulheres à parte; todas as mais famílias, cada família à parte, e suas mulheres à parte. (Zacarias 12:10-14)



Fonte: http://paoevinho.wordpress.com/2009/07/04/judasmo-messinico-oficialmente-reconhecido-por-israel/

0 comentários:

Postar um comentário