Blog do José Ribeiro Júnior

24 setembro 2009

Judaísmo Messiânico




Trata-se de uma ramificação do Judaísmo que segue as tradições religiosas hebraicas e a identidade arraigada na Torah, porém também acredita em Yeshua (Jesus) como o Messias esperado pela tradição profética judaica.


O Judaísmo tradicional ensina que a Tanach e o Talmud são a Palavra Eterna de D'us, que ao "Novo Testamento" (como é comumente chamado) falta esta autoridade, e que Yeshua não é o Messias. Já o Judaísmo Messiânico, em contraste, ensina que a Tanach e a Brit Hadashah (as Escrituras do Novo Testamento) são juntas a Palavra Eterna de D'us e que Yeshua é o Messias.

Mas temos que ter em mente que Yeshua era israelita e sua vida era norteada pela religiosidade e tradições hebraicas, e como tal, também cumpria o que as escrituras lhe prescrevia. Ou seja, ele observava as mesmas leis que eram aplicadas aos demais filhos de Israel: foi circuncidado, observava o shabat, participava das festividades, freqüentava o templo.

Não há contra-senso. Trata-se do mesmo Yeshua HaMashiach, que veio a terra como Ben Yossef (filho de José) e que voltará como Ben David, e reconstruirá a nação de Israel e restaurará o reino de David, trazendo desta forma a paz para todas as nações.

Já nos primeiros séculos, muitos judeus já aceitavam a crença em Yeshua como Mashiach e que este era o filho do Eterno. Acreditavam também, que os gentios que se convertessem deveriam aceitar as tradições religiosas judaicas, diferentemente de outros grupos que tinham uma visão de que Yeshua viera abolir a Torah. Este último posicionamento acabou tornando-se o oficial da cristandade.

Desta forma, tanto judeus como gentios convertidos seguiam os mandamentos da Torah. Muitos são céticos ao acreditar se este Judaísmo Messiânico era uma variação dos ensinos de Jesus ou se era a doutrina original de Yeshua. No entanto, se considerarmos o sucesso inicial do movimento de Yeshua dentro do Judaísmo, podemos crer que o ensino original não tenha sido muito diferente disto.

Desde o segundo século, a igreja ensina que o Cristianismo é uma religião separada e distinta do Judaísmo. Esta perspectiva promoveu a doutrina anti-bíblica segundo a qual as Escrituras Hebraicas foram substituídas historicamente pelo "Novo Testamento", que a igreja substituiu Israel como as pessoas do pacto de D'us, e que aqueles primeiros discípulos de Yeshua foram convertidos da religião judaica para uma nova religião chamada Cristianismo. Mas essa orientação não é compartilhada pelo Judaísmo Messiânico.

O Judaísmo Messiânico, em contrapartida, acredita que Yeshua não veio estabelecer uma nova religião, mas de fato cumprir uma antiga já existente (Mattityahu/Mateus 5:17): "Não pensem que vim abolir a Torá ou os Profetas. Não vim abolir, mas cumprir" e enfatiza o amor de D'us e a fidelidade para com os hebreus: "Digo, pois: porventura, rejeitou o Eterno o seu povo? De maneira nenhuma; porque também eu sou israelita, da descendência de Avraham (Abraão), da tribo de Binyamin (Benjamim)" (Romim/Romanos 11:1-2).

Finalmente, o Judaísmo Messiânico combate a idéia de que aquelas pessoas judias que seguem Yeshua se tornam convertidos a outra religião, mas de fato permanecem judeus (Kolassim/Colossenses 4:11): "E Yeshua, chamado Justo, os quais são da circuncisão".

O Judaísmo Messiânico não é um movimento completamente novo, mas antes a ressurreição de um movimento muito antigo. A identidade descrita sob o termo "Judaísmo Messiânico" era a identidade da comunidade de seguidores israelitas de Yeshua no primeiro e segundo séculos.

O moderno Judaísmo Messiânico tomou forma no século XIX e em 1886 foi fundada em Kishinev, atual República da Moldávia, a primeira Congregação Judaico-Messiânica Moderna, por Joseph Rabinowitz.

O Judaísmo Messiânico é a mais recente fase no desenvolvimento histórico do autêntico Judaísmo Bíblico. É a religião de Avraham, Moshê, David, e dos profetas, cumprida pela vinda de Yeshua HaMashiach.


Messianismo


Messias (hebraico משיח - Mashíach ou Hammasiah, "O consagrado"). Como já mencionado, refere-se, principalmente, à profecia da vinda de um humano descendente do Rei David, que iria reconstruir a nação de Israel e restaurar o reino de David, trazendo desta forma a paz ao mundo.

O Messias já era uma profecia predita desde os tempos dos Patriarcas, sendo Yeshua o Mashiach de Israel.

Os primeiros seguidores eram judeus que não abandonaram as suas tradições, ou seja, o seu Judaísmo, mas o praticavam plenamente e apenas acrescentaram a crença em Yeshua como Messias. Com a expansão dos ensinos de Yeshua diversos não-judeus também passaram a acreditar neste como o Mashiach.

Após a destruição de Jerusalém alguns seguidores de Yeshua romperam suas ligações com o Judaísmo e passaram a desenvolver diversos ensinamentos que acabaram originando as muitas seitas e ramificações da cristandade, com seus ritos e doutrinas pagãs e contrárias aos princípios da Torá.



Fonte: http://www.judaismomessianico.net/judaismomessianico.htm

0 comentários:

Postar um comentário